"Life feels like a midnight ride..." - SOAD

23 de janeiro de 2015

Opinião - "Às Dez a Porta Fecha", de Alice Vieira

Às Dez a Porta Fecha
de Alice Vieira
Edição/reimpressão: 1998
Páginas: 160
Editor: Editorial Caminho
ISBN: 9789722100366
Colecção: Obras de Alice Vieira
Faixa etária: a partir dos 12 anos

Sinopse:

Às Dez a Porta Fecha é um peculiar romance juvenil, pois quase não encontramos personagens jovens. O livro trata da vida de velhos num lar de pessoas idosas. Conta-nos as histórias dos sonhos, desgostos e dores de homens e mulheres velhos que travam uma luta interior contra a rotina e o esquecimento das suas famílias. 
Mas é também um texto comovente e divertido com final feliz, visto que um dos velhos casa com uma companheira, sai do lar, e juntos descobrem o amor e constroem uma vida nova.


Confesso que nunca tinha lido Alice Vieira, talvez por ter o trauma dos autores de "escola", como quem diz autores que nos obrigam a ler ao longo da nossa vida académica e que acabamos por ter um horror pessoal aos mesmos (vá, confessem lá, também têm os vossos). Mas como estava a dizer, nunca tinha lido Alice Vieira, situação que vai mudar rapidamente devido a este pequeno grande livro.

Este livro foi-me oferecido e, assim que o recebi e o esfolheei, certas expressões saltaram-me à vista. Como fiquei curiosa, comecei logo a lê-lo e já não o consegui largar. Todas as personagens e as histórias individuais que se acabam por interligar, a escrita tão fluída e sem pretensiosismos, o humor e a tristeza latente em cada momento, todos estes pormenores fazem com que este livro seja um prazer de ler. Além disso, toca em certos estigmas da sociedade sem ser de forma brusca ou inquisitória, quase como uma lição de moral sem dares por isso, perfeito para a faixa etária a que se destina.
A história passa-se na Casa da Chaminé, um lar de 3ª idade que alberga as mais diferentes personagens, desde os idosos que lá residem, aos funcionários que lá trabalham, ao Comeciá o cão, até ao médico e ao Gimbras, um miúdo sem papas na língua que não gosta de ir à escola e foge do seu irmão para não levar reprimendas, e que são visita habitual na casa. Todos com as suas taras e manias resultado de todo o seu percurso de vida. Pelo meio vamos encontrando as histórias pessoais de cada uma destas personagens e são estas que nos fazem perceber o porquê das suas personalidades e ganhar um genuíno afecto por cada uma delas.

Se fores um(a) leitor(a) mais sensível, prepara-te para uma lagrimazinha no final do livro.

0 comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo teu comentário! :)

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Seguidores

Também no Blogloving

Follow

Quem por cá passou

Este blogue não segue nem apoia o acordo ortográfico!
Todas as imagens e textos não feitos exclusivamente para este blogue, não me pertencem. Com tecnologia do Blogger.

Copyright © Gritos Mudos Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com