"Life feels like a midnight ride..." - SOAD

21 de maio de 2016

Opinião - "O Monstro de Monsanto", de Pedro Jardim


O Monstro de Monsanto
de Pedro Jardim

Edição: 2015
Páginas: 280
Editor: A Esfera dos Livros
ISBN: 9789896266424
Categoria: Ficção; Policial; Thriller
Uma rapariga encontrada morta na floresta de Monsanto. Um delicado vestido azul a cobrir o corpo. O cabelo cuidadosamente penteado. Uma máscara de papel branco com um poema de Florbela Espanca sobre o rosto.
É este o cenário que Isabel Lage, inspectora da Brigada de Homicídios da Polícia Judiciária, encontra no local do crime. A primeira vítima de um serial killer que não deixa pistas, que habilmente se move pela floresta e que parece conhecer todos os passos da polícia. Isabel está apostada em resolver este mistério e fazer justiça em nome das mulheres que morrem às mãos de um assassino frio e calculista. Mas todas as pistas levam a João, o seu antigo companheiro de patrulha, e com quem partilhou mais do que aventuras profissionais.
Pode haver um monstro em qualquer um de nós...

Ainda não tinha sido lançado e já este livro me tinha deixado entusiasmada. A premissa de um serial killer a percorrer as ruas da nossa capital, um monstro à solta, escapando-se às mãos da polícia, uma mulher inspectora e todo um jogo psicológico, aliado ao facto de ter sido escrito por um autor português foram razões mais do que suficientes para querer ler, o mais rápido possível, este livro.

Devo confessar, no entanto, que não me encheu as medidas. Apesar de ter todos os elementos para ser fantástico, acabou por passear por diversas mentes, principalmente do "monstro" e de Isabel e João, as personagens principais, mas de uma forma um pouco "aérea", havendo imensas divagações (quase poéticas) que me fez perder, por vezes, um pouco o fio à meada.

Em relação a todo o enredo, apesar de andarmos um pouco às voltas do que realmente interessa, até está bem conseguido. São várias as vezes em que pensamos ter descortinado toda a trama e ter descoberto a identidade do assassino e, entretanto, dá-se um twist qualquer que nos deixa novamente a questionar. Não, nada é o que parece, pormenor que gostei.

Em relação à forma como a história é contada, temos o ponto de vista das várias personagens dividido por capítulos. Cada capítulo é a mente de alguém, mostrando as suas histórias pessoais, as suas conquistas, as suas fraquezas, os seus medos e os seus demónios, cada uma com o seu próprio monstro (e não temos todos um monstro dentro de nós?). No entanto, e como já mencionei, cada personagem tende a divagar imenso o que, não sendo necessariamente mau, acaba por nos afastar do policial em si. Talvez por isso não me encheu as medidas como esperava, pelo facto de ficarmos com toda a investigação em segundo plano e, quando é focada, parecer um pouco forçada no meio de tantos demónios psicológicos.

De um ponto de vista mais lato, e agora que conheço toda a história, compreendo qual o objectivo do autor. A ideia de um thriller psicológico intenso é apelativa e quase foi bem sucedida. Na minha opinião, o autor criou uma gema em bruto que não conseguiu lapidar totalmente.

Apesar de tudo, não foi uma má leitura, apenas esperava outra coisa, mais qualquer coisa. Mas não pensem que desisti do autor, muito pelo contrário. Acho que tem uma imaginação fantástica e boas ideias e, sendo este o seu primeiro romance adulto (o autor escreveu vários livros para crianças), é mais do que natural que não tenha acertado a 100%, o que não invalida ter sido uma óptima aprendizagem para os seus próximos livros (acredito que sim!). E é mesmo isto que não me deixa desistir do Pedro Jardim, a expectativa de que o próximo livro seja muito bom, o que acredito que será.

4 comentários:

  1. Olá Andreia,
    Quando o livro foi editado, tive mesmo muita curiosidade, mas entretanto li algumas opiniões e confesso que a vontade foi-se ;)
    No entanto, depois de ler a tua opinião, se surgir a oportunidade, acho que lhe dou uma hipótese pois conseguiste-me deixar novamente com algum interesse.
    Beijinhos

    O Prazer das Coisas | Facebook | Youtube | Goodreads

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tita! :)
      Aconteceu-me exactamente o mesmo, mas a curiosidade acabou por ser mais forte. O livro não é nenhuma obra de louvar, mas acho que foi mais criticada do que deveria (talvez por estarem tão descontentes com o autor, não conseguiram separar a história do seu criador).
      Tenho curiosidade em ver se o autor irá voltar a lançar mais algum livro do género :)

      Um beijinho*

      Eliminar
  2. Olá, Andreia! Agradeço imenso a tua opinião sincera sobre o meu primeiro romance policial. Respondendo à tua questão, e apesar de apostar muito nos livros para os mais novos (está mais um a caminho), estou a escrever um segundo romance policial, sim. Agradeço mais uma vez pela sinceridade. São estas criticas que nos ajudam a melhorar e a não desistir do que fazemos por paixão. Muito obrigado. Pedro Jardim

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pedro! :) Eu é que agradeço as palavras. Espero ouvir notícias suas muito brevemente e que o próximo policial não tarde!
      Todo o sucesso do mundo! :)
      Um beijinho

      Eliminar

Obrigada pelo teu comentário! :)

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Seguidores

Também no Blogloving

Follow

Quem por cá passou

Este blogue não segue nem apoia o acordo ortográfico!
Todas as imagens e textos não feitos exclusivamente para este blogue, não me pertencem. Com tecnologia do Blogger.

Copyright © Gritos Mudos Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com